26/07 - 31/07/2016

Atualizações / Notícias

Atrás

Notícias - Cardeal Dziwisz: Mandamos a todos vocês as cordiais saudações da Polônia, a pátria de São João Paulo II

2016-07-30 / Papież Franciszek

O Papa, entrando no Campus Miesricordiae, foi acolhido por numerosos peregrinos. Estima-se que há cerca 1.6 milhão. Uma colorida multidão se alegra com vinda do Papa.

 

O Papa com os seis jovens, representantes dos todos os continentes, passou pela Porta da Misericórdia. Estes jovens foram: Joseph Gulliford, representando a Europa; Emily Yeh, representando a Ásia; Elena Blazquez, representando a América Latina; Piotr Szarkowski, representando da  América do Norte; Ralambo Lay, representando a África e Anna Margaret Leung Wai, representando a Oceania. O Papa surpreendeu a todos quando convidou estes jovens a entrarem no papamóvel e juntos dirigiram-se ao altar. O Santo Padre sentou-se em sua cadeira e os jovens sentaram-se aoredor dele, no chão.

 

O Cardeal Dziwisz deu as boas-vindas ao Papa com estas palavras:

„Seja bem-vindo, Santo Padre .Todos vocês são bem-vindos no Campus Miesricordiae. Bem-vindos a este extenso espaço cujo diante de nós transforma-se em um grande Cenáculo dos jovens discípulos e discípulas do Mestre de Nazaré. Eles são numerosos, de todos os continentes e nações. Mas nestes dias nós estamos usando para se comunicar somente uma língua, uma língua de fé, de fraternidade e de amor. Estes jovens esperam também as suas palavras, Santo Padre, expressadas na língua de amor, aqui, neste momento, em Cracóvia. Olhe, Santo Padre, somos muitos, mas hoje também muitos de nossos irmãos e irmãs estão nos acompanhando pelos meios de comunicação e estão reunidos em oração conosco.

Sejam bem-vindos, queridos irmãos e queridas irmãs. Mandamos a todos vocês as cordiais saudações da Polônia, pátria de São João Paulo II, de Cracóvia, cidade de Karol Wojtyła.

Saudamos todos vocês da cidade que vive, de uma certa maneira, da Divina Misericórdia e é a sede dela. Santo Padre, os jovens são a esperança da Igreja, são a sua esperança e do mundo do terceiro milênio. Eles anunciarão o evangelho da paz em uma nova língua, com uma nova sensibilidade, com uma nova esperança. Eles foram preparados para isto, pela experiência que vivenciaram e o que agora vivem durante desta Jornada Mundial da Juventude em Cracóvia de 2016, na Polônia “, disse o Cardeal Dziwisz.

O Papa junto comos jovens de todos os continentes escutaram, antes da Vigília, os reflexões baseadas na oração da Santa Faustina: “Ajude me, Senhor!”. A encenação referiu-se à ideia principal da Vigília: “ O caminho para Jesus”. As cenas foram completadas com os testemunhos das pessoas que partilharam sobre sua fé. Falaram aos peregrinos: Natalia Wrzesień da comunidade Chemin Neuf, Miguel do Paraguai e Rand Mittri da Síria.

“ Quando estamos saindo da casa, temos medo se quando voltarmos pra casa vamos ainda encontrar as nossas famílias e nossa casa”, disse Rand Mittri de 26anos de Aleppo, na Síria.

“Eu acredito que Deus existe além do nosso sofrimento. Creio que pela dor Ele nos ensina o verdadeiro significado do amor. A minha fé em Jesus é uma fonte da minha alegria e esperança. E ninguém, nunca me roubará esta verdadeira alegria.”, enfatizou a cristã da Síria.


O Papa Francisco referiu-se as palavras dela em sua homilia:

“No final do seu corajoso e comovente testemunho Rand pediu nós algo. Ela nos disse: "Peço-vos muito, para rezar pela minha querida terra natal." História marcada por guerras, sofrimento, perda, termina com um apelo por oração. Existe algo melhor do que começar a nossa Vigília em oração?”

No altar, iluminado por velas, foi colocado o ostensório. Os peregrinos junto com o Papa se ajoelharam diante do Santíssimo Sacramento.

Quando o Papa se levantou e abençoou os reunidos na Campus Misericordiae, centenas de milhares de velas foram acesas.

 

AS

Fot. Marcin Mazur

Tradução: Aldona Skrzypiec

Está página contém cookies. Ao continuar navegando aceitará o seu uso.

Aceitar